Quimilokos de Plantão!

Google+ Followers

Buscador QUIMILOKO! [pesquise no próprio Blog e na WEB]

Pesquisa personalizada

Dúvidas?! Entre em nosso Bate Papo Quimiloko!

Confirmado o Elemento Quimico 115

Pesquisadores da Universidade de Lund, na Suécia criaram e confirmaram a presença do novo Elemento Químico 115., bombardeando uma fina camada de Amerício ( Am), com uma fina camada de Cálcio, onde o Elemento Químico recém formado, desapareceu em uma luz tipo flash radioativo. O experimento foi realizado, usando-se o Acelerador de Partículas conhecido G.S.I, do Governo Alemão.
 É conhecido que a ultima modificação na Tabela Periódica dos Elementos Químicos, ocorreu em 2011 quando a IUPAC na ocasião incluiu respectivamente os Elementos Químicos de Números Atômicos 114 e 116, nomeados respectivamente de Fleróvio e Livermório, e devido a este motivo a IUPAC ainda não designou a localização do mesmo, necessitando portanto sua aprovação. Até que isso venha a ocorrer, os cientistas colocaram a Nomenclatura Provisória de Unumpentium, um termo científico amalgamado do latim e do grego, significando basicamente a sequencia 1-1-5.
Este novo Elemento Químico, recebeu o apelido de "Elemento Super Pesado", uma vez que é conhecido que quanto maior for o número de Prótons no Átomo, maior será por consequência o Peso Atômico de mesmo. Exemplificando, o Ouro ( Au), teria 79 e o Chumbo ( Pb), 82." 
 
 
Confirmado o Elemento Quimico 115.

Pesquisadores da Universidade de Lund, na Suecia criaram e confirmaram a presença do novo Elemento Quimico 115, bombardeando uma fina camada de Americio ( Am), com uma fina camada de ions  Calcio,( Ca), onde o Elemento Quimico recem formado, desapareceu em uma luz tipo flash radioativo.O experimento foi realizado, usando-se o Acelerador de Particulas conhecido G.S.I, do Governo Alemao.E conhecido que a ultima modificaçao na Tabela Periodica dos Elementos Quimicos, ocorreu em 2011 quando a IUPAC na ocasiao incluiu respectivamente os Elementos Quimicos de Numeros Atomicos 114 e 116, nomeados respectivamente de Flerovio e Livermorio, e devido a este motivo a IUPAC ainda nao designou a localizaçao do mesmo, necessitando portanto sua aprovaçao. Ate que isso venha a ocorrer, os cientistas colocaram a Nomenclatura Provisoria de Unumpentuim, um termo cientifico amalgamado do latim e do grego, signficando basicamente a sequencia 1-1-5.Este novo Elemento Quimico, recebeu o apelido de  "Elemento super pesado", uma vez que e conhecido que quanto maior for o numero de Protons no Atomo, maior sera por consequencia o Peso Atomico de mesmo. Exemplificando, o Ouro ( Au), teria 79 e o Chumbo ( Pb),82.
 

 

 

ALOTROPIA DO CARBONO - CARBINO

Olá pessoas queridas!
A postagem de hoje vai para todos os curiosos de plantão, mas em especial aos meus alunos dos 9ºs anos do Externato São José e do Educandário Goiás, pois havíamos falado na semana passada sobre alotropia e olhem só o que encontrei?!
CARBINO!!! O MAIS NOVO ALÓTROPO DO CARBONO!!
Leiam o trecho abaixo e vejam o quanto é interessante!
.
Carbino é a mais nova variedade Alotrópica do Carbono ( lembrar que Alotropia é a Propriedade designada a um determinado Elemento Químico que pode apresentar várias configurações em Substâncias Simples), que vem acrescer os Alótropos anteriores: Grafeno, Fulereno, Diamante e Grafite, podendo ser caracterizado por ligações simples e duplas alternadas. Recentes estudos indicam que o Carbino apresentaria o dobro da rigidez do seu antecessor o Grafeno, e uma Dureza 3 vezes maior que o Diamante. Este composto pode ser utilizado em sensores nanoeletromecânicos e compostos ultraleves e fortes. Ainda estão sendo realizados testes de reatividade do material, e aplicações do mesmo estarão sendo divulgadas. Abaixo representamos a Estrutura do Carbino através de Microscopia Eletrônica de Tunelamento.
Foto: Carbino.

Carbino e a mais nova variedade Alotropica do Carbono ( lembrar que Alotropia e a Propriedade designada a um determinado Elemento Quimico que pode apresentar varias configuraçoes em Substancias Simples), que vem acrescer os Alotropos anteriores: Grafeno, Fulereno, Diamante e Grafite, podendo ser caracterizado por ligaçoes simples e duplas alternadas.Recentes estudos indicam que o Carbino apresentaria o dobro da Rigidez do do seu antecessor o Grafeno, e uma Dureza 3 vezes maior que o Diamante. Este composto pode ser utilizado em sensores nanoeletromecanicos e compostos ultraleves e fortes.Ainda estao sendo realizados testes de reatividade do material, e aplicaçoes do mesmo  estarao sendo divulgadas. Abaixo representamos a Estrutura do Carbino  atraves de Microscopia Eletronica de Tunelamento.
 
Um mol de abraços a todos!!!
p.s.: Estão estudando para as provas, né?!
xD

Teorias de Origem da Vida - 07 O surgimento das Células Eucarióticas

O Surgimento das Células Eucarióticas
Teoria endossimbiótica: a existência das mitocôndrias e dos cloroplastos.
A origem das células eucariontes a partir de organismos ancestrais anaeróbios procariontes, provavelmente cerca de 1,7 bilhões de anos, promoveu maior complexidade, portanto especialização da estrutura celular.

O surgimento dos eucariotos, por exemplo: os unicelulares (amebas) e pluricelulares (plantas e animais), constituídos de membrana plasmática, hialoplasma, organelas e núcleo individualizado, fundamenta-se no desenvolvimento de dobras membranosas que invaginaram formando compartimentos com formas e funções diferenciadas, além de propiciar proteção do material genético envolto pela cariomembrana.

Assim, as diversas organelas: os lisossomos, os retículos liso e rugoso, os peroxissomos, o complexo de Golgi, os plastos (de reserva ou de pigmentação) e as mitocôndrias, dinamizaram evolutivamente o metabolismo celular.

Existem teorias com suporte nas relações mutualísticas (teoria simbiótica), supondo que os primeiros eucariontes eram anaeróbios heterotróficos que se alimentavam de arqueobactérias fagocitadas.

Durante a evolução, algumas primitivas bactérias se capacitaram em maior proveito energético no processo respiratório (tornaram-se aeróbias), enquanto outras passaram a converter substâncias inorgânicas em orgânicas, realizando a princípio, gradativamente os processos de quimiossíntese, fermentação e posteriormente fotossíntese (tornando-se autotróficos).

Essas bactérias, engolfadas pelos eucariotos simples, mantiveram harmoniosas interações com mútuo benefício entre as partes. As bactérias recebem proteção e nutrientes, enquanto os eucariotos de estrutura celular rudimentar passaram então a aproveitar do processo aeróbio e fotossintético realizado pelas bactérias, sugerindo a existência das mitocôndrias e cloroplastos no interior das células eucariontes atuais.

Por: Thiago Ribeiro
FONTE: http://www.mundoeducacao.com/biologia/o-surgimento-das-celulas-eucarioticas.htm

Teorias de Origem de Vida - 06 Experimento de Miller

Experimento de Miller

Experimento de Urey-Miller

                                      


Stanley Miller, acreditando que a Terra primitiva era composta de amônia, metano, hidrogênio e vapor de água – segundo o modelo de Oparin - criou, em 1952, um dispositivo no qual tais compostos eram aquecidos e resfriados, além de submetidos a descargas elétricas, sob a supervisão de Harold Urey. Esta foi uma tentativa de recriar o ambiente dessa época.

Com esse experimento, após uma semana, o jovem cientista conseguiu produzir aminoácidos e bases nitrogenadas, além de cianeto e formaldeído: a sopa prebiótica.

Tal resultado, publicado em 1953 na revista científica "Science", abriu portas para a crença de que a matéria precursora da vida poderia ter se formado espontaneamente, a partir destas substâncias. Tal ideia foi reforçada quando foi encontrado um meteorito, o Murchinson, que continha os mesmos aminoácidos, com a mesma proporção que se apresentavam no aparelho de Miller.

Assim, esse brilhante cientista, falecido aos 77 anos em 2007, deu um passo importante nos estudos acerca da evolução química e da hipótese heterotrófica e seu feito é referência até os dias de hoje. Ele demonstrou que processos naturais podem tornar uma química simples numa química complexa.

Inclusive, poucos sabem que esse cientista só publicou uma de três de suas recriações da Terra primitiva. Uma destas, na qual havia um aspirador que injetava vapor de água no frasco onde ocorriam as faíscas, foi recriada no fim de 2008, por Jeffrey Bada, professor de química marinha da Universidade da Califórnia, em San Diego. Ele e sua equipe consideraram tal experimento útil por, possivelmente, simular a descarga que ocorre quando raios cruzam uma erupção vulcânica rica em vapor de água.

Esses obtiveram como resultado um número maior de aminoácidos do que o encontrado no modelo tradicional de Miller, acreditando que tais condições podiam ser comuns em nosso planeta, antes da formação dos grandes continentes! 
 
Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

Teorias de Origem da Vida - 05 Os Esperimentos de Pasteur

Os experimentos de Pasteur
Na imagem acima podemos ver como Pasteur conduziu seus experimentos que sepultaram a teoria da abiogênese
                                               
Louis Pasteur (1822- 1895) foi um cientista francês que conseguiu provar, definitivamente, que os seres vivos se originam somente a partir de outros seres vivos. Seus experimentos foram incentivados pela Academia Francesa de Ciências na década de 1860, que oferecia um prêmio a quem realizasse um experimento definitivo sobre a real origem dos micro-organismos.
Os experimentos de Pasteur foram realizados com quatro frascos de vidro, cujos gargalos foram esticados e curvados no fogo após todos terem sido enchidos com caldos nutritivos. Logo em seguida, Pasteur ferveu o caldo de cada um dos quatro frascos, até que saísse vapor dos gargalos longos e curvos e deixou-os esfriar.
Depois de um tempo, Pasteur observou que, embora todos os frascos estivessem em contato direto com o ar, nenhum deles apresentou micro-organismos. Pasteur então quebrou os gargalos de alguns frascos e observou que, em poucos dias, seus caldos já estavam repletos de micro-organismos.
A ausência de micro-organismos nos caldos que estavam nos frascos cujos gargalos eram curvos e longos com a presença desses seres nos frascos cujos gargalos foram quebrados mostraram que o ar contém micro-organismos e que eles, ao entrarem em contato com o caldo nutritivo, desenvolvem-se. Nos frascos que apresentavam gargalo curvo e longo, os micro-organismos não conseguiram chegar até o líquido porque ficaram retidos no “filtro” formado pelas gotículas de água que apareceram no pescoço do frasco durante o resfriamento. Nos frascos que tiveram seu pescoço quebrado, o “filtro” formado pelo vapor deixou de existir, deixando o líquido vulnerável aos micro-organismos, que, uma vez em contato com o líquido, encontraram condições adequadas para o seu desenvolvimento.
A partir desse experimento, Pasteur mostrou que um líquido, ao ser fervido, não perde a “força vital”, como defendiam os adeptos da abiogênese, pois quando o pescoço do frasco é quebrado, após a fervura desse líquido, ainda aparecem seres vivos. Dessa forma, Pasteur sepultou de vez a teoria da abiogênese ou geração espontânea, que admitia que os seres vivos originavam-se a partir de matéria bruta.
Louis Pasteur também nos deixou outras contribuições importantes para a microbiologia e também para a medicina. Através de mudanças em práticas hospitalares introduzidas por Pasteur, houve uma diminuição na disseminação de doenças hospitalares causadas por micro-organismos. Pasteur também foi o responsável por descobrir que a raiva era transmitida por um agente que não poderia ser visto ao microscópio, assim desenvolveu técnicas para vacinar animais contra a raiva e tratar pessoas mordidas por animais infectados.
Outro processo que é muito utilizado nos dias atuais é a pasteurização. Desenvolvida por Pasteur para exterminar micro-organismos encontrados em vinhos, a pasteurização consiste no aquecimento seguido por resfriamento brusco. Essa técnica permite a retirada de micro-organismos dos mais variados alimentos sem deteriorá-los. Em muitos países, inclusive no Brasil, é obrigatória a pasteurização do leite e de seus derivados antes de serem comercializados. Nesse processo, o leite é mantido a 62°C por cerca de meia hora, eliminando vários micro-organismos prejudiciais aos seres humanos, além de prolongar a vida útil do alimento.
 
Por: Paula Louredo Moraes
Loading...