Quimilokos de Plantão!

Google+ Followers

Buscador QUIMILOKO! [pesquise no próprio Blog e na WEB]

Pesquisa personalizada

Dúvidas?! Entre em nosso Bate Papo Quimiloko!

Tabela Periódica - "Promessa é dívida!"

Um bom dia a todos!
=]
Essa postagem vai em especial para minha querida leitora Paloma, de São Paulo capital.
Havia prometido uma postagem sobre Tabela Periódica a você, querida, e aí está!
Um breve histórico, te apresentando este 'mundo fascinante' da Química!
.



Apresentando uma breve história da evolução e criação da Tabela Periódica

Ressalto que a Tabela Periódica foi criada ou construída por muitas mãos, a soma de muitas pesquisas e conhecimentos ao longo dos séculos até culminar com a Tabela atual, embora a grande maioria dos historiadores e químicos atribuam ou citem apenas o Professor russo MENDELEYEV (1834 –1907), como o criador da Tabela Periódica.

Aqui vai, portanto, um breve histórico:

HENNING BRAND – alquimista, em 1669, com destaque para a primeira descoberta científica de um elemento, o fósforo.

Nos 200 anos seguintes tivemos muitas descobertas e conhecimentos das propriedades de elementos químicos e seus compostos.
Com o aumento do número de elementos descobertos, os cientistas iniciaram a investigação de modelos para reconhecer as propriedades e desenvolver esquemas de classificação.

A primeira classificação, foi a divisão dos elementos em metais e não-metais. Isso possibilitou a antecipação das propriedades de outros elementos, determinando assim, se seriam ou não metálicos.

JOHANN W. DÖBEREINER, em 1829, teve a primeira idéia, com sucesso parcial, de agrupar os elementos em três - ou tríades. Essas tríades também estavam separadas pelas massas atômicas, mas com propriedades químicas muito semelhantes. A massa atômica do elemento central da tríade, era supostamente a média das massas atômicas do primeiro e terceiro membros. Lamentavelmente, muitos dos metais não
podiam ser agrupados em tríades.

JOHN DALTON, no início do século XIX, listou os elementos químicos pela massa atômica conhecida na época. Muitas das massas atômicas adotadas por Dalton, estavam longe dos valores atuais, devido a ocorrência de erros. Os erros foram corrigidos por outros cientistas, e o desenvolvimento de tabelas dos elementos e suas massas atômicas, centralizaram o estudo sistemático da química. Não podemos
chamar de modelo periódico, pois os elementos estavam apenas ordenados em ordem crescente de massa atômica, cada um com suas propriedades e seus compostos.

JOHN A.R. NEWLANDS, professor de química no City College em Londres, em 1864, sugeriu que os elementos, poderiam ser arranjados num modelo periódico de oitavas, ou grupos de oito, na ordem crescente de suas massas atômicas. O modelo colocou o elemento lítio, sódio e potássio juntos. Esquecendo o grupo dos elementos cloro, bromo e iodo, e os metais comuns como o ferro e o cobre. A idéia de
NEWLANDS, foi ridicularizada pela analogia com os sete intervalos da escala musical. A Chemical Society recusou a publicação do seu trabalho periódico (Journal of the Chemical Society). Nenhuma regra numérica, foi encontrada para que se pudesse organizar completamente os elementos químicos numa forma consistente, com as propriedades químicas e suas massas atômicas.
A base teórica na qual os elementos químicos estão arranjados atualmente - número atômico e teoria quântica - era desconhecida naquela época e permaneceu assim pôr várias décadas.

DMITRI IVANOVICH MENDELEYEV, nascido na Sibéria, educado em St. Petersburg, e posteriormente na França e Alemanha. Conseguiu o cargo de professor de química na Universidade de St. Petersburg. Escreveu um livro de química orgânica em 1861.
É considerado o responsável pela organização da tabela periódica.
Em 1869, em seu livro de química inorgânica, organizou os elementos que é a base da classificação periódica moderna, colocando os elementos em ordem crescente de suas massas atômicas, distribuídos em oito colunas verticais e doze faixas horizontais. Verificou que as propriedades variavam periodicamente à medida que aumentava a massa atômica. Em 1906, recebeu o Prêmio Nobel por este trabalho.

HENRY MOSELEY, cientista britânico, em 1913, descobriu que o número de prótons no núcleo de um determinado átomo, era sempre o mesmo. MOSELEY usou essa idéia para o número atômico de cada átomo. Quando os átomos foram arranjados de acordo com o aumento do número atômico, os problemas existentes na tabela de MENDELEYEV desapareceram. Portanto, seu trabalho complementou a tabela periódica moderna
atribuindo o número atômico dos elementos.

A tabela atual se difere bastante da de MENDELEYEV. Com o passar do tempo, os químicos foram melhorando a tabela periódica moderna, aplicando novos dados, como as descobertas de novos elementos ou um número mais preciso na massa atômica, e rearranjando os existentes, sempre em função dos conceitos originais.

GLENN SEABORG, na década de 50, e à partir da descoberta do plutônio em 1940, descobriu todos os elementos transurânicos (do número atômico 94 até 102).
Reconfigurou a tabela periódica colocando a série dos actnídeos abaixo da série dos lantanídeos. Em 1951, recebeu o Prêmio Nobel em química, pelo seu trabalho. O elemento 106 tabela periódica é chamado Seabórgio, em sua homenagem.

O sistema de numeração dos grupos da tabela periódica, usados atualmente, são recomendados pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC). A numeração é feita em algarismos arábicos de 1 à 18, começando a numeração da esquerda para a direita, sendo o grupo 1, o dos metais alcalinos e o 18, o dos gases nobres.

Observação:
É muito comum atribuir todo o crédito da construção da Tabela Periódica a MENDELEYEV, mas não devemos nos esquecer de outro químico, talvez tão brilhante quanto o cientista russo: o alemão JULIUS LOTHAR MEYER (1830 - 1895).
Em 1869, MEYER e MENDELEYEV, trabalhando independentemente, lançaram classificações periódicas semelhantes. O brilhantismo das previsões de MENDELEYEV ofuscou por completo o resultado das pesquisas de LOTHAR MEYER.
Em 1882, porém, os dois cientistas receberam a Medalha Davy, a mais alta honraria da Associação Britânica para o Progresso da Ciência.
Vale lembrar também que, em 1887, outra injustiça foi reparada. A mesma medalha foi oferecida a NEWLANDS, o cientista que fora ridicularizado por sua classificação baseada nas oitavas musicais.
.

Espero que tenha esclarecido um pouco.

=]

Para saber mais:






.

Abraços a todos!!

.

5 comentários:

Blog "A Química está em todo lugar" disse...

Por acaso navegando abri esse blog e adorei. Parabéns

Profª Thaiza disse...

Olá moça do "A Química está em todo lugar"!
Pena não saber seu nome, mas uma maravilha poder te receber aqui no QUIMILOKOS!!
Volte sempre que desejar! Serás bem vinda com certeza!
=]
Um mol de abraços!!

Zilderlan disse...

Parabéns pelo blog.

Zilderlan disse...

Parabéns pelo blog.

Profª Thaiza disse...

Zilderlan!!
Muuuuuuitíssimo obrigada!
=]
Um mol de abraços!

Loading...