Quimilokos de Plantão!

Google+ Followers

Buscador QUIMILOKO! [pesquise no próprio Blog e na WEB]


Dúvidas?! Entre em nosso Bate Papo Quimiloko!

Atenção! Atenção!!

personalized greetings

Sachês perfumados de parafina

Bom dia a todos!
Temos programado para amanhã, com os 3ºs anos, a produção de sachês perfumados de parafina e/ou velas artesanais aromáticas.
A parafina é uma mistura de hidrocarbonetos - principalmente alcanos - de massa molar elevada [acima de 20 carbonos, por exemplo, C36H74]. Quando pura, apresenta-se normalmente na cor brano-lúcida. É inodora , insípida e solúvel em solventes apolares como benzeno, C6H6(l) e clorofórmio, CHCl3(l), ou em álcool etílico à quente. É insolúvel em água e em ácidos. Apresenta densidade entre 0,880 g/mL e 0,915g/mL , ponto de fusão entre 47°C e 65°C [as parafinas de maior ponto de fusão são as mais caras], ponto di inflamação iagual a 198°C e ponto de ignição igual a 245°C. Alguns tipos de parafina contém substâncias cancerígenas e, por isso, o limite de tolerância estabelecido é de 2mg/m3 de ar. É utilizada como combustível, lubrificante, isolante elétrico, basa para goma de mascar e na fabricação de cosméticos.
Uma receita caseira bastante interessante e fácil de fazer que utiliza parafina é a de sachês perfumados. Querem nos acompanhar nesta aula?? Aí vai o PASSO-A-PASSO. Observe:
Reagentes e aparelhagens
Fase A
  • 300 g de parafina sólida
  • 10 g de corante [lápis de cera] de sua cor preferida
  • 15 g de ácido esteárico [ácido octadecanóico ou estearina]
Fase B
  • 10 mL de essência [solúvel em óleos] de sua escolha
  • 5 mL de fixador
  • forminhas para sachês ou para chocolates nos formatos desejados
  • panela esmaltada [ágata] ou de vidro [evite panela de alumínio]
  • fôrmas de bolo para banho-maria
  • colher de pau
Procedimentos
Prepare o banho-maria adicionando água na fôrma de bolo e colocando a fôrma para aquecer diretamente sobre a chama do fogão. Na panela esmaltada adicione a parafina sólida, a estearina e o lápis de cera [você pode controlar a cor dos sachês aumentando ou diminuindo ligeiramente a quantidade do lápis adicionado].

A estearina ou ácido esteárico atua como emulsificador, doador de consistência e desmoldante, ou seja, permite que os sachês sejam facilmente retirados das forminhas depois de prontos [por isso não é preciso untá-las].

Quando a água da fôrma de bolo entrar em ebulição, ABAIXE O FOGO e leve a panela com os ingredientes para o banho-maria [tome cuidado nesta operação, pois a parafina é inflamável].

Aguarde até as substâncias derreterem e formarem um líquido homogêneo. Adicione o fixador e, mexendo sem parar com a colher de pau, junte a essência. Desligue o fogo e retire a panela do banho-maria. Coloque o líquido com cuidado nas forminhas previamente limpas e secas. Desenforme quando solidificar. Se quiser, embrulhe os sachês com pedaços de tule ou renda e os guarde nos armários e nas gavetas para perfumar roupas, sapatos e objetos pessoais.


ALGUMAS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

  • Ponto de inflamação ou flash point é a temperatura mínima na qual os vapores emanados se inflamam na presença de uma chama, apagando-se em seguida, já que as quantidades de vapores são insuficientes para manter a combustão.
  • Temperatura, ou ponto, de ignição é aquela em que o combustível queima po aquecimento, sem necessidade da presença de uma chama.
  • Uma sugestão para que a fôrma de sachê não se deforme ao entrar em contato com a parafina quente, é manter a parte externa da fôrma imersa em água fria.
  • Para fazer as velas ao invés dos sachês trocamos o tipo das fôrmas e acrescentamos o pavil [que pode ser feito com barbante desfiado] e o ilhós.
  • O lápis de cera pode ser substituído por anilina líquida ou mesmo a sólida, porém a líquida irá se misturar de forma mais homogênea.

Bom meus[as] queridos[as], é isso aí!!
Aguardo todos os preparativos para nossa aula amanhã à noite e, àqueles que se aventurarem em nos acompanhar neste momento, gostaria de saber os reultados depois, combinados?!
Abraços a todos e uma ótima terça-feira!!
OBS.: Você encontra esta e outras receitas no livro: Química Orgânica da Coleção Completamente Química, da Profª Martha Reis: http://www.cliquequimica.com.br/livros.htm

Nosso Selo Oficial!!!

Uma ótima noite a todos!!
É com muito gosto e, graças a ajuda de minha blogamiga Andrea [http://dicasdeciencias.wordpress.com/] que vos apresento nosso selo oficial do Quimilokos!!
Espero que gostem!
^^!
E, caso queiram colocá-lo em sua página, o código está logo abaixo do selo! É só clicar em "POST TO" e direcionar o selo para sua página nas opções que irão aparecer.
Beijinhos a todos e um bom restinho de fim de semana!

QuickPost

Projeto sobre Alimentos - Termoquímica e Cinética

Um bom dia a todos!
Hoje, em especial, quero me concentrar nesta postagem aos meus[as] alunos[as] dos 2ºs anos noturno do CPMG - AS. Em relação ao nosso Projeto sobre Alimentos, que estaremos realizando no decorrer deste II Bimestre, seguem algumas informações acerca do mesmo:
Tema: PROJETO SOBRE ALIMENTOS [Termoquímica e Cinética Química] - A Química em benefício da Sociedade.
Disciplinas envolvidas: Química, Física, Matemática, Biologia e Ensino Religioso.
Objetivos: O presente Projeto tem como objetivo aproximar o aluno da percepção das práticas químicas que ocorrem em seu dia-a-dia, trazendo como ‘pano de fundo’ as reações químicas que ocorrem em sua cozinha, através da análise de alguns alimentos pré-determinados. Também tem por objetivo, uma análise das embalagens de cada alimento, uma vez que foram distribuídos entre naturais e industrializados, bem como, despertar nos mesmos uma noção de Marketing e Economia, como também Gastronomia Molecular, e Ações Sociais; uma vez que, além das análises a serem executadas em casa, os alunos também deverão criar um ‘prato’ com o alimento que os foi destinado, produzindo por fim, um cardápio a ser servido em data marcada, durante a realização de um FESTIVAL GASTRONÔMICO. Por fim estarão, no decorrer do bimestre, arrecadando alimentos não perecíveis [já que o trabalho em questão analisa, quimicamente, as reações de decomposição de alguns alimentos, consideraremos os alunos, aptos a estarem escolhendo os alimentos considerados ‘ideais’ para um mínimo calórico necessário ao ser humano] que serão doados a entidade[s] carente[s] [como sugestão, a Vila Mariápoles, antigo Lixão de Trindade], despertando, ao mesmo tempo que sua concepção química do meio, a sua sensibilidade em estar ajudando ao próximo; sendo também recompensados com pontuação extra na média referente ao II Bimestre [sugestão 2,0] à turma que fizer uma maior pontuação em Kilogramas de alimentos arrecadados.
Tudo isso numa tentativa de despertar em nosso alunado uma visão diferenciada do mundo em que vive, em prol de sensibilizá-los a uma vida mais produtiva em sala de aula e pelos corredores da escola e de suas casas.

OBS.:
· Os alunos ainda farão uma visita a duas indústrias [a serem programadas], uma de Produção Alimentícia outra de Produção de Embalagens; e à Faculdade Cambury, no curso de Gastronomia.
· Também receberão no Colégio, um[a] Engenheiro[a] de Produção para falar-lhes sobre a prática no Mercado de Trabalho, do tema ora analisado.
· É possível também que um grupo selecionado esteja participando das Atividades do Centro de Pesquisa Ecológica e Ambiental, nos programas de Gastronomia do Grupo Banana Menina, em Hidrolândia.
Análises a serem feitas:
1 - Período de análise e observação:
# Pães, bolachas, salgadinhos: 20dias.
# Milho de pipoca, macarrão, feijão, fubá, farinha de trigo, massa para bolo, cereal, gelatina em pó: 35 a 40 dias.
# Goiabada, doce de leite, iogurte comum, extrato de tomate: 20 a 25 dias.
# Maçã, banana, tomate, batata, cenoura, cebola: 10 a 15 dias.
2 – Análises [para TODOS os alimentos]:
# Propriedades organolépticas [cheiro, cor, sabor, textura];
# Proliferação de fungos e bactérias;
# Presença de insetos [formigas, mosquitos, moscas, caruncho, etc.]
[Para alimentos industrializados]:
3 – Pesquisas:
· 1º) NA EMBALAGEM:
- Informação Nutricional (destacar o Valor Energético)
- Ingredientes
- Guardar a embalagem para cálculo de área e volume
· 2º) GLÚTEN, ESTABILIZANTE, CONSERVANTE, GORDURA SATURADA, GORDURA TRANS:
- O que é?
- Para que serve?
- O alimento analisado possui ou não?
· IDA ou %VD
4 – Conclusões:
· O que levou às variações das propriedades organolépticas?
· O que propicia a formação de fungos? Qual o tipo de fungo que apareceu no alimento analisado?
· O que propicia a formação de bactérias? Qual o tipo de bactéria que agiu ou agiria no alimento analisado?
· O que privilegia a presença de insetos? Que tipo de inseto apareceu no alimento analisado?
· Qual marca de produto durou mais tempo? A que fatores o grupo associa tal fenômeno?
· Qual das marcas o grupo considera mais econômica [produto mais duradouro e preço mais acessível]?
· Qual das embalagens dos alimentos analisados o grupo considera mais atrativa? Qual delas o grupo considera como ideal?
· Anexar os cálculos de área e volume de cada embalagem.
· Faça uma análise comparativa entre a embalagem e a eficácia do produto.
[Para alimentos naturais]:
3 – Pesquisas:

1º) Observar quantos quilos ou gramas de produto foi adquirido.
2º) IDA [pesquisar a IDA referente ao alimento analisado].
3º) Criar uma IDA relativa ao peso do produto consumido.
4º)Agrotóxicos mais comuns utilizados, e o agrotóxico específico do alimento analisado. Pesquisar sobre os benefícios e os malefícios causados pelos mesmos.
4 – Conclusões:
· O que levou às variações das propriedades organolépticas?
· O que propicia a formação de fungos? Qual o tipo de fungo que apareceu no alimento analisado?
· O que propicia a formação de bactérias? Qual o tipo de bactéria que agiu ou agiria no alimento analisado?
· O que privilegia a presença de insetos? Que tipo de inseto apareceu no alimento analisado?
· Qual tipo de alimento durou mais tempo, e em que situação [dentro ou fora da geladeira? Em recipiente aberto ou tampado? Em saquinho plástico ou vasilhame?]
· Qual o tipo de embalagem e/ou recipiente utilizado na compra do produto?
· Anexar os cálculos de área e volume de cada embalagem.
· Qual o tipo de embalagem o grupo considera ideal para acondicionamento em casa?
· Faça uma análise comparativa entre a embalagem utilizada e o “tempo de vida” do alimento.


FIQUEM ATENTOS COM AS DATAS:
  • Data para início das análises: 25/04/2008
  • Data para entrega final do trabalho escrito: 13/06/2008
  • Data para o evento referente aos pratos prontos: 16/06/2008
  • Em relação as datas das visitas técnicas, passeio e início da arrecadação dos alimentos, aguardem informações!!
BOM TRABALHO A TODOS!!

"No que diz respeito ao desempenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem-feita ou não faz." [Ayrton Senna]

SETE ESCRITOS SOBRE EDUCAÇÃO E CIÊNCIA - lançamento!!

Uma bom dia a todos!
Dias atrás fui surpreendida com um comentário aqui no QUIMILOKOS que me deixou até meio desconcertada, tamanha a surpresa. Você já se imaginou frente a um ídolo?! Pois bem, foi assim que eu disse ao "Professor Attico Chassot" quando passou por aqui! ^^! Me senti como uma adolescente frente ao seu ídolo de cinema! hehehe!!! Mas é a verdade, fazer o quê?!
Então, como sou realmente fã de seu trabalho, achei por bem estar divulgando o lançamento de seu novo livro SETE ESCRITOS SOBRE EDUCAÇÃO E CIÊNCIA, que estará ocorrendo na próxima segunda-feira, dia 28/04/08, na PUC, durante o ENDIPE. O livro "faz tessituras com interrogantes que instigam à leitora ou ao leitor a uma parceria intelectual. É salutar nos associarmos, nesta brecha formada por um intervalo finito – e que parece cada vez mais estreito – entre um passado revoluto e um futuro quase imprevisível. É nesse espaço quase exíguo que cada um faz história nessa aurora trimilenar. Assim parece importante procurar entender como se deu/dá/dará a construção do conhecimento; propor um ensino das Ciências com dimensões ambientais; ao afirmar que o senso comum possa ter bom senso, se retorna ao polemizar, tão ausente nas salas de aula; com a História da Ciência mirar acontecimentos que, mesmo irrelevantes, foram cruciais para entendermos como homens e mulheres fazem história; envolver-se em discussões quase bizantinas como batizar ou não batizar robôs; inteirar-se de um tema polêmico: a vingança da tecnologia, sonegado nas salas de aula; e experenciar uma prática de pesquisa onde estudantes se fazem pesquisadores de saberes populares." [http://www.atticochassot.com.br/saibamais_sete.htm]
Estou na fila hein!!!!
Infelizmente não tenho como comparecer ao lançamento, mas pode ir encomendando meu exemplar, que quero com certeza!!
A quem se interessar pelo livro e também quiser adquirir um, é só entrar na Livraria Virtual a seguir: http://www.atticochassot.com.br/livraria_virtual.htm
Abraços a todos!!
Um dia de paz.
=]

Dia do Índio / Computadores - Mol

Uma ótima noite a todos!
Dia complicado de se postar alguma coisa. Estava aqui 'matutando' e acabei encontrando algo sobre o porquê de hoje se comemorar o Dia do Índio. Bom, então lá vai:
História do Dia do Índio
"Comemoramos todos os anos, no dia 19 de Abril, o Dia do Índio. Esta data comemorativa foi criada em 1943 pelo presidente Getúlio Vargas, através do decreto lei número 5.540. Mas porque foi escolhido o 19 de abril?
Para entendermos a data, devemos voltar para 1940. Neste ano, foi realizado no México, o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano. Além de contar com a participação de diversas autoridades governamentais dos países da América, vários líderes indígenas deste contimente foram convidados para participarem das reuniões e decisões. Porém, os índios não compareceram nos primeiros dias do evento, pois estavam preocupados e temerosos. Este comportamento era compreensível, pois os índios há séculos estavam sendo perseguidos, agredidos e dizimados pelos “homens brancos”.
No entanto, após algumas reuniões e reflexões, diversos líderes indígenas resolveram participar, após entenderem a importância daquele momento histórico. Esta participação ocorreu no dia 19 de abril, que depois foi escolhido, no continente americano, como o Dia do Índio."

Bom, a verdade é que minha postagem de hoje, na realidade vem sido ansiada há alguns dias!
hehehe!
Não em relação a essa questão indígena [e sem subestimar a importância da data também!Longe de mim isso!!], mas sim sobre mais um "tema químico" em debate!
Como QUIMILOKA de plantão que sou, vivo à procura de algo novo para vocês e, me deparei dias atrás com uma atualização de meu companheiro blogueiro e professor Luis Brudna em seu GLÚON BLOG [ http://www.gluon.com.br/blog/ ] sobre Química e Computação que me deixou fascinada pelo assunto!
Sua postagem vem nos falar a respeito da importância da velocidade de processamento dos computadores para a Química.
E é aí que eu conclamo meus[as] alunos[as] dos 2ºs anos do CPMG - AS a darem uma boa lida no texto por completo clicando no link a seguir: http://www.gluon.com.br/blog/2008/04/11/computadores-mol/
Isso porque uma vez que se fala em Química é algo que vocês têm que ficar completamente atentos [e sedentos!!!], ainda mais quando se tem acoplado tecnologia, e muito mais quando se refere a conteúdo de 'sala de aula'!
Lembram-se do nosso querido Avogadro?!
Pois bem, então também se lembram do mol?!
hehehe!
Agora tentem imaginar um 'COMPUTADOR NA VELOCIDADE DO MOL'!!
Lembram-se de calcular quantas moléculas de água haviam em duas colherinhas de chá?! E de quanto tempo gastariam [milhaaaaaaares de anos!] para contá-las uma a uma [se isso fosse possível, claro!]?! Pois bem, agora imaginem uma máquina capaz de fazer isso em dias!!!!
Estão vendo só?! A tecnologia é definitivamente uma grande aliada!!
Estão vendo só?! Não percam a oportunidade! Visitem o GLÚON e leiam o texto na íntegra!
Tenho certeza de que também encontrarão muuuuuuitos outros materiais interessantes por lá!
Um forte abraço a todos!
E, Profº Luis, muito grata pela contribuição e disponibilidade!
Bom final de semana a todos!!!

Aula Prática de Química - Produção de Shampoo - Segunda Etapa!

Uma ótima tarde a todos!
Como devem estar esperando, eis as fotos de nossa "Aula Prática" deste último final de semana.
Juntos estão minha galerinha dos 3ºs anos noturno, e o pessoal dos 2ºs e 3ºs do matutino!
=]
Fechando o bimestre com chave de ouro, finalizamos com mais uma etapa de produção de Shampoo de Chocolate!
Definitivamente uma delícia!
hehehe!!!
"Saboreiem" as fotos!
^^!


Uma ótima tarde a todos!

Forte abraço a vocês!!!

Selo da Amizade! ^^!



Boa noite pessoal!
Olha que maravilha! Fomos presenteados com o "Selinho da Amizade"!!
[Infelizmente não consegui colocá-lo ao lado, por isso estou colocando aqui em forma de postagem mesmo..sniff..sniff..] E quem nos presenteou foi a Natty, da http://gibitecacom.blogspot.com/.
Valeu amiga!!!
^^!
Bom, agora lá vão os meus 10 amigos escolhidos para também receberem o selo:
1 - http://dicasdeciencias.wordpress.com/
2 - http://carbonocatorze.blogspot.com/
3 - http://educandooamanha.blogspot.com/
4 - http://cybelemeyer.blogspot.com/
5 - http://ensquimica.blogspot.com/
6 - http://escolhendoapilulavermelha.blogspot.com/
7 - http://fisica-com-quimica.blogspot.com/
8 - http://professoraveneza.blogspot.com/
9 - http://escolaedificar.blogspot.com/
10 - http://meioambientequimicaederivados.blogspot.com/

Tenham todos um óóóóótimo final de semana!!!
E, aos meus[as] aluninhos[as] queridos[as] dos 3ºs anos...estou aguardando vocês neste sábado [tarde] e domingo[manhã] para a nossa vez de trabalharmos em aula prática juntinhos hein!!!
Não se percam nos horários!
=]
Até lá!!
[]'s a todos!!

1º Salão do livro infantil e juvenil de Goiás


Não podia deixar de falar algo também a respeito do 1º Salão do Livro Infantil e Juvenil de Goiás!!
Bom, o encerramento é hoje, no finalzinho da tarde e, sinceramente...quem teve a oportunidade de participar de qualquer dos dias, que seja apenas da exposição, com certeza lucrou e se divertiu a valer!!! Quem ainda não foi, aproveite o dia de hoje e dê uma passadinha por lá! Ainda dá tempo!!!
Meu filho foi um dos que não economizou fôlego e acabou "me levando" até lá por dois dias consecutivos!!Bom, na verdade eu o levei em um dia, e no outro fui à trabalho mesmo, mas logo que percebeu onde eu ia, já foi pegando a sacola e a chave do carro! hehehehehe!!! Na foto ao lado está ele com as personagens "Cabeça Oca" e "Mariana", do escritor goiano Christie Queiroz, que 'garante nunca ter dirigido uma Ferrari nem ter ido à Lua, mas adora escrever para crianças em suas viagens na maionese. Cabeça Oca e Mariana, inspirada em sua filha, são prova disso.' Christie é formado em Design Gráfico e já foi premiado pela Society for News Design [SND] , em Nova York, pela Abigraf/GO e teve seu trabalho indicado ao Troféu HQ Mix, o Oscar dos quadrinhos brasileiros, em 2006 e 2007. [NATTY, ESTÁ LENDO ISSO??!? HEHEHEHEHE!!!!Espero que sim, amiga!Sei que gosta dessas coisas!=]. Já essa outra foto, acima, é com a mascote da nova Enciclopédia Barsa para Crianças, um doce! E que material bom também!
Enfim, tanto Ian quanto eu aproveitamos horrooooooooores deste Salão do Livro! ^^! Se alguém se interessar, o link deles é: http://www.salaodolivrogoias.com.br/.
Um abraço a todos e, mais uma vez, ótimo domingo a vocês!!

Ciência Forense

Bom dia pessoal!
Ontem estava lendo a respeito das reportagens deste mês de março da Revista Ciência Hoje nº246 e me deparei com um assunto muitíssimo interessante e que, aos meus[as] alunos[as] dos 2ºs anos, será de grande importância! Por isso galerinha, leiam com bastante atenção, pois logo logo estaremos recebendo um profissonal junto a nós no Colégio para discutirmos sobre o assunto, envolvendo a prática química e a produção de soluções através de vários tipos de concentrações que podem ser adotadas, principalmente mostrando a vocês um outro ângulo da prática química que não a sala de aula!

Sim, o texto é grande, mas vale a pena [com certeza!!] ser lido!!

DIVIRTAM-SE!!!

=]

.


Fechando o cerco
Polícia técnica tem novas ‘armas’ para investigar crimes e preparar laudos periciais

A ciência forense – que se tornou profissão legalizada no início do século 20 e se popularizou na década de 1990 com o advento da análise de DNA – sempre atraiu a atenção do grande público. São exemplos de sucesso o detetive Sherlock Holmes, criado pelo escritor inglês Arthur Conan Doyle, a série televisiva Quincy, de Jack Klugman, ou dos atuais programas de investigação criminal na tevê. Hoje várias séries criminais, entre elas Crime Scene Investigation (CSI), estão na lista dos 20 programas de televisão mais vistos no mundo.
O lado positivo de tudo isso é que o público passou a respeitar mais a ciência, o que se reflete, por exemplo, na procura por cursos de ciência forense. O número de alunos matriculados na Universidade Chaminade, em Honolulu, passou de 15 para 100 em quatro anos. Na Universidade da Virgínia Ocidental, o curso de ciência forense e investigativa, que em 2000 tinha apenas quatro alunos, é hoje o terceiro maior do campus, com mais de 500 alunos. No Brasil o número de estudantes na área também tem crescido. Enquanto nos Estados Unidos a polícia se preocupa em corresponder às expectativas dos programas nacionais de investigação forense, no Brasil ainda há, em algumas regiões, um longo caminho a percorrer em busca dos padrões internacionais de qualidade para a ciência forense. As análises de DNA são um bom exemplo. Para obter os níveis de segurança dos exames dos laboratórios de referência no exterior, é preciso estabelecer rígidos padrões de qualidade, entre eles calibração periódica de equipamentos, coleta apropriada de material e adoção de procedimentos que minimizem a chance de troca de amostras. Além disso, novas áreas de pesquisa na ciência forense estão longe de ser exploradas no Brasil e em outros países em desenvolvimento. Uma delas é a entomologia forense, que envolve o estudo de insetos para auxiliar as investigações criminais, principalmente em casos de morte violenta. Quando moscas-varejeiras, por exemplo, encontram um cadáver, em geral aí depositam ovos, dos quais em pouco tempo eclodem larvas (algumas espécies põem larvas já eclodidas). As larvas alimentam-se dos tecidos em decomposição até atingir a fase de pupa. Portanto, podem ser tomadas como uma espécie de ‘relógio biológico’ indireto, capaz de indicar o tempo transcorrido entre a morte e a descoberta do cadáver, chamado de ‘intervalo pós-morte’ (IPM). A estimativa do IPM baseia-se na comparação de dados sobre o desenvolvimento de insetos obtidos em análises laboratoriais do material (ovos, larvas, pupas e adultos de diferentes espécies) coletado no corpo ou próximo dele. Mas as informações obtidas a partir do exame de insetos recolhidos em cadáveres permitem outras aplicações de interesse, além da estimativa do IPM. A identificação de espécies pode indicar que o corpo foi afastado do local original do crime, caso uma espécie não ocorra naturalmente na área onde o cadáver foi achado. Se muitas larvas forem encontradas em outra região do corpo, além das cavidades naturais, isso pode indicar algum tipo de traumatismo, possivelmente causado por armas. Com base nos insetos coletados, também é possível saber se o corpo esteve enterrado ou submerso por determinado tempo. Nos Estados Unidos, no Canadá e em vários países europeus, a entomologia forense já é utilizada com freqüência em investigações criminais. Entre nós, uma tentativa de torná-la mais divulgada e aceita foi a criação, em março de 2007, da Associação Brasileira de Entomologia Forense.


Os ácaros do gênero Macrocheles são importantes em estudos forenses (foto: M. Alejandra Perotti, Henk R. Braig e M. Lee Goff).


TEXTO POR: Leonardo Gomes
Laboratório de Eco-epidemiologia de Doença de Chagas, Fundação Oswaldo Cruz
.
Para a reportagem por completo, com direito a link para baixar o Artigo na íntegra: http://cienciahoje.uol.com.br/114431
.
Espero que tenham gostado, pois é um assunto que estaremos explorando bastante esse mês!
Abraços a todos! E tenham um ótimo e abençoado domingo!!
.

Tabela Periódica - "Promessa é dívida!"

Um bom dia a todos!
=]
Essa postagem vai em especial para minha querida leitora Paloma, de São Paulo capital.
Havia prometido uma postagem sobre Tabela Periódica a você, querida, e aí está!
Um breve histórico, te apresentando este 'mundo fascinante' da Química!
.



Apresentando uma breve história da evolução e criação da Tabela Periódica

Ressalto que a Tabela Periódica foi criada ou construída por muitas mãos, a soma de muitas pesquisas e conhecimentos ao longo dos séculos até culminar com a Tabela atual, embora a grande maioria dos historiadores e químicos atribuam ou citem apenas o Professor russo MENDELEYEV (1834 –1907), como o criador da Tabela Periódica.

Aqui vai, portanto, um breve histórico:

HENNING BRAND – alquimista, em 1669, com destaque para a primeira descoberta científica de um elemento, o fósforo.

Nos 200 anos seguintes tivemos muitas descobertas e conhecimentos das propriedades de elementos químicos e seus compostos.
Com o aumento do número de elementos descobertos, os cientistas iniciaram a investigação de modelos para reconhecer as propriedades e desenvolver esquemas de classificação.

A primeira classificação, foi a divisão dos elementos em metais e não-metais. Isso possibilitou a antecipação das propriedades de outros elementos, determinando assim, se seriam ou não metálicos.

JOHANN W. DÖBEREINER, em 1829, teve a primeira idéia, com sucesso parcial, de agrupar os elementos em três - ou tríades. Essas tríades também estavam separadas pelas massas atômicas, mas com propriedades químicas muito semelhantes. A massa atômica do elemento central da tríade, era supostamente a média das massas atômicas do primeiro e terceiro membros. Lamentavelmente, muitos dos metais não
podiam ser agrupados em tríades.

JOHN DALTON, no início do século XIX, listou os elementos químicos pela massa atômica conhecida na época. Muitas das massas atômicas adotadas por Dalton, estavam longe dos valores atuais, devido a ocorrência de erros. Os erros foram corrigidos por outros cientistas, e o desenvolvimento de tabelas dos elementos e suas massas atômicas, centralizaram o estudo sistemático da química. Não podemos
chamar de modelo periódico, pois os elementos estavam apenas ordenados em ordem crescente de massa atômica, cada um com suas propriedades e seus compostos.

JOHN A.R. NEWLANDS, professor de química no City College em Londres, em 1864, sugeriu que os elementos, poderiam ser arranjados num modelo periódico de oitavas, ou grupos de oito, na ordem crescente de suas massas atômicas. O modelo colocou o elemento lítio, sódio e potássio juntos. Esquecendo o grupo dos elementos cloro, bromo e iodo, e os metais comuns como o ferro e o cobre. A idéia de
NEWLANDS, foi ridicularizada pela analogia com os sete intervalos da escala musical. A Chemical Society recusou a publicação do seu trabalho periódico (Journal of the Chemical Society). Nenhuma regra numérica, foi encontrada para que se pudesse organizar completamente os elementos químicos numa forma consistente, com as propriedades químicas e suas massas atômicas.
A base teórica na qual os elementos químicos estão arranjados atualmente - número atômico e teoria quântica - era desconhecida naquela época e permaneceu assim pôr várias décadas.

DMITRI IVANOVICH MENDELEYEV, nascido na Sibéria, educado em St. Petersburg, e posteriormente na França e Alemanha. Conseguiu o cargo de professor de química na Universidade de St. Petersburg. Escreveu um livro de química orgânica em 1861.
É considerado o responsável pela organização da tabela periódica.
Em 1869, em seu livro de química inorgânica, organizou os elementos que é a base da classificação periódica moderna, colocando os elementos em ordem crescente de suas massas atômicas, distribuídos em oito colunas verticais e doze faixas horizontais. Verificou que as propriedades variavam periodicamente à medida que aumentava a massa atômica. Em 1906, recebeu o Prêmio Nobel por este trabalho.

HENRY MOSELEY, cientista britânico, em 1913, descobriu que o número de prótons no núcleo de um determinado átomo, era sempre o mesmo. MOSELEY usou essa idéia para o número atômico de cada átomo. Quando os átomos foram arranjados de acordo com o aumento do número atômico, os problemas existentes na tabela de MENDELEYEV desapareceram. Portanto, seu trabalho complementou a tabela periódica moderna
atribuindo o número atômico dos elementos.

A tabela atual se difere bastante da de MENDELEYEV. Com o passar do tempo, os químicos foram melhorando a tabela periódica moderna, aplicando novos dados, como as descobertas de novos elementos ou um número mais preciso na massa atômica, e rearranjando os existentes, sempre em função dos conceitos originais.

GLENN SEABORG, na década de 50, e à partir da descoberta do plutônio em 1940, descobriu todos os elementos transurânicos (do número atômico 94 até 102).
Reconfigurou a tabela periódica colocando a série dos actnídeos abaixo da série dos lantanídeos. Em 1951, recebeu o Prêmio Nobel em química, pelo seu trabalho. O elemento 106 tabela periódica é chamado Seabórgio, em sua homenagem.

O sistema de numeração dos grupos da tabela periódica, usados atualmente, são recomendados pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC). A numeração é feita em algarismos arábicos de 1 à 18, começando a numeração da esquerda para a direita, sendo o grupo 1, o dos metais alcalinos e o 18, o dos gases nobres.

Observação:
É muito comum atribuir todo o crédito da construção da Tabela Periódica a MENDELEYEV, mas não devemos nos esquecer de outro químico, talvez tão brilhante quanto o cientista russo: o alemão JULIUS LOTHAR MEYER (1830 - 1895).
Em 1869, MEYER e MENDELEYEV, trabalhando independentemente, lançaram classificações periódicas semelhantes. O brilhantismo das previsões de MENDELEYEV ofuscou por completo o resultado das pesquisas de LOTHAR MEYER.
Em 1882, porém, os dois cientistas receberam a Medalha Davy, a mais alta honraria da Associação Britânica para o Progresso da Ciência.
Vale lembrar também que, em 1887, outra injustiça foi reparada. A mesma medalha foi oferecida a NEWLANDS, o cientista que fora ridicularizado por sua classificação baseada nas oitavas musicais.
.

Espero que tenha esclarecido um pouco.

=]

Para saber mais:






.

Abraços a todos!!

.
Loading...